O que pode salvar a sua ideia de negócios?

O que pode salvar a sua ideia de negócios?

Você tem o espírito do empreendedor?

Em nosso último blog, abordamos sobre o que alguém que deseja iniciar um negócio precisa ter em mente.  O principal é saber se haverá mercado para o seu produto ou serviço e levantar capital de giro para suportar o início da empresa. Se você está entrando no mundo do empreendedorismo, responder estas questões vai te certificar de que a empresa que planeja abrir é viável. Ou em outras palavras, que as pessoas vão ter interesse em comprar o que você pretende oferecer e que você conseguirá vender a quantidade necessária para sustentar o negócio.


Parece óbvio, não é mesmo?

Mas infelizmente muita gente não segue esta regra. Abre uma empresa sem o necessário planejamento e acaba tendo que fechar as portas, jogando fora todo o dinheiro e trabalho investidos. Uma triste estatística do IBGE divulgada em 4 de outubro de 2017 diz que 60% das empresas fecham em até cinco anos após a sua fundação. Quantas vezes você já não foi surpreendido ao constatar que uma recém-inaugurada loja, lanchonete ou bar fechou as portas rapidamente? Provavelmente o que faltou foi um Plano de Negócios para este estabelecimento fracassado.


Você já calculou o custo mensal do seu negócio?

 

Você já calculou o custo mensal do seu negócio?

Um Plano de Negócios consiste primeiramente em medir o interesse do público pelo produto ou serviço que você quer oferecer no mercado e o quanto as pessoas estão dispostas a pagar pelo que sua empresa pretende oferecer. Isto pode ser feito pessoalmente através de entrevistas ou questionários via redes sociais. Constatado que há interesse pelo que será oferecido por sua empresa, é hora de levantar o custo mensal do negócio. Este custo engloba a manutenção da estrutura física (aluguel, energia elétrica, telefone, internet, material de limpeza e escritório) e a folha de pagamento caso seja necessário contratar funcionários para executar as atividades. É muito importante determinar o pró-labore que se deseja retirar como sócio da empresa e incluir este valor no custo mensal. Caso você vá trabalhar com venda de produtos, também será preciso levantar qual será o custo de aquisição deles, para determinar o preço pelo qual você os venderá ao público.


Por que projetar a venda?

 

Por que projetar a venda?

Determinado o custo mensal, será a hora de projetar a venda necessária para que sua empresa tenha capacidade de arcar com estes custos e ainda sobrar um lucro para reinvestimento no negócio ou para retirada dos sócios. Desta forma você conseguirá determinar se será possível logo nos primeiros meses equilibrar a venda com o custo mensal, ou se é necessário esperar algum tempo até ficar conhecido no mercado. Se for preciso esperar, você deverá ter um capital de giro reservado para arcar com estes primeiros meses, e o Plano de Negócios te dará condições de saber o montante de capital de giro necessário até a empresa se equilibrar. Muitos negócios vão à falência por não terem noção da necessidade deste capital.


Quem pode te ajudar?

Lógico que aqui pincelamos de forma bem básica como é realizado um Plano de Negócios. Se você ficou interessado em elaborar algum, há muito material na internet de fácil compreensão e que explica o passo a passo da execução de todas as suas fases. Veja alguns exemplos nestes sites:

Caso tenha dúvidas ou insegurança de elaborar o plano sozinho, procure um profissional especializado para te ajudar. É um investimento que vale a pena: muito mais arriscado é jogar um caminhão de dinheiro no ralo por ter aberto um negócio sem o planejamento necessário para esta empreitada.


Fique de olho nos nossos próximos blogs

Uma vez determinado o capital de giro necessário para suportar o início do negócio, é hora de partir para as formas de se levantar este montante. É o assunto que abordaremos em nossos próximos blogs!

Quer saber mais? Sinta-se a vontade para entrar em contato via contato@freelancerselect.com.br.

Rodrigo Leontino

Esses blogs sobre formas de financiamento são escritos por economista Rodrigo Leontino da AYN Consultoria e Assessoria Empresarial.